quinta-feira, 22 de Março de 2012

20 Profecias sobre a Segunda Vinda já Cumpridas ou em Andamento

A Gloriosa Esperança
Uma das mais solenes e gloriosas verdades reveladas na Bíblia é a segunda vinda de Cristo, para completar a grande obra da redenção.
Quando o Salvador estava prestes a ser separado de seus discípulos, confortou-os em sua tristeza com a certeza de que Ele viria novamente: “NÃO se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim” (João 14:1-3). “E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; E todas as nações serão reunidas diante dele” (Mateus 25:31-32).
A vinda do Senhor tem sido em todos os séculos a esperança de Seus verdadeiros seguidores. A promessa do Salvador no Monte das Oliveiras, de que viria outra vez, iluminou o futuro para os seus discípulos, enchendo seus corações de alegria e esperança, que tristezas não poderiam apagar nem provações ofuscar. Em meio de sofrimento e perseguição, “o aparecimento do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo” é a “bendita esperança”. Quando os cristãos tessalonicenses estavam cheios de pesar ao sepultarem os seus entes queridos, que haviam esperado viver para testemunhar a vinda do Senhor, Paulo, seu professor, apontou-lhes a ressurreição, que ocorrerá por ocasião do advento do Salvador. Então, os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro e juntos com os vivos serão arrebatados para encontrar o Senhor no ar. “E assim”, disse ele, “estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras” ( 1 Tess 4:16-18).
Na rochosa ilha de Patmos o discípulo amado ouve a promessa: “Certamente, cedo venho”, e sua anelante resposta sintetiza a prece da igreja em toda a sua peregrinação: “Ora vem, Senhor Jesus” (Apoc. 22:20).
A profecia não somente prediz a maneira e desígnios da vinda de Cristo, mas apresenta sinais pelos quais os homens devem saber quando ele está próximo. Nesta seção, vamos olhar para 20 sinais de que a volta do Senhor está próxima, “mesmo à porta”.
1. A Destruição de Jerusalém
“não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada” “Então, os que estiverem na Judeia, fujam para os montes” (Mateus 24:2, 16).
É uma questão de fato histórico que Jerusalém foi destruída no ano 70 dC pelo guerreiro romano Tito.
Cristo viu em Jerusalém um símbolo do mundo endurecido na incredulidade e rebelião. As desgraças de uma raça decaída, oprimindo Sua alma, arrancaram de Seus lábios aquele clamor extremamente amargo. ”Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha os seus pintos ajunta debaixo das asas, e não quiseste?” Lucas 13:34
Ele viu a história do pecado traçada na miséria humana, lágrimas e sangue, seu coração estava cheio de compaixão infinita para com os aflitos e sofredores da Terra; Ele ansiava aliviá-los todos. Mas até mesmo a mão dEle não podia voltar a maré da miséria humana; poucos buscam sua única fonte de ajuda. Ele estava disposto a derramar sua alma na morte, para trazer a salvação ao seu alcance; mas poucos vêm a Ele para ter vida.
2. Uma Grande Perseguição
“Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver” (Mateus 24:21). “lançarão mão de vós, e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e às prisões, e conduzindo-vos à presença de reis e presidentes, por amor do meu nome…E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós” (Lucas 21:12-16).
Esta profecia aponta principalmente para o longo período de tribulação que teve lugar durante a Idade das Trevas e foi instigado pela igreja apóstata. Durou mais de mil anos, multidões foram torturadas, queimadas na fogueira, ou ambos. Mais de 50 milhões de cristãos foram mortos por sua fé neste período de terrível tribulação.
Um escritor diz que a igreja apóstata “derramou mais sangue inocente do que qualquer outra instituição que já existiu entre os homens.” W.E.H. Lecky, história da ascensão e influência do Espírito do Racionalismo na Europa, (Reimpressão; Nova York: Braziller, 1955) vol. 2, pp 40-45.
“Desde o nascimento do papado até o presente momento, estima-se pelos historiadores cuidadosos e
credíveis, que mais de cinquenta milhões da família humana, foram abatidos pelo crime de heresia pelos perseguidores papistas …” John Dowling, A história do catolicismo, pp 541-542.
3. Um Grande Terremoto
No ano de 1755 ocorreu o mais terrível terremoto que já fora registrado. Apesar de comumente ser conhecido como o terremoto de Lisboa, estendeu-se pela maior parte da Europa, África e América. Foi sentido na Groenlândia, nas Índias Ocidentais, na ilha da Madeira, na Noruega e Suécia, Grã-Bretanha e Irlanda. Abrangeu uma extensão de pelo menos quatro milhões de quilômetros quadrados. Na África, o choque foi quase tão grave como na Europa. Uma grande parte da Argélia foi destruída; e a uma curta distância do Marrocos, uma aldeia de oito ou dez mil habitantes foi engolida. Uma vasta onda varreu a costa da Espanha e da África, submergindo cidades, e causando grande destruição.
Foi na Espanha e em Portugal que o choque atingiu a maior violência. Em Cadiz a ressaca foi dita ser da altura de vinte metros. Montanhas – algumas das maiores em Portugal – “Foram impetuosamente sacudidas, e algumas delas abriram nos seus cumes, e enormes massas foram lançadas para os vales subjacentes. Chamas foram relatadas sendo emitidas a partir dessas montanhas”. Em Lisboa, “um som de um trovão foi ouvido sob o solo e imediatamente depois um violento choque derribou a maior parte da cidade. No percurso de cerca de seis minutos pereceram sessenta mil pessoas. O mar primeiro recuou, formando uma faixa seca, e então voltou, aumentando cinqüenta metros acima de seu nível normal”. ”A circunstância mais extraordinária que aconteceu em Lisboa durante a catástrofe, foi o afundamento do novo cais, construído inteiramente de mármore, com vultosa despesa. Uma grande multidão de pessoas tinham se abrigado lá por segurança, como um local onde podiam estar fora do alcance dos destroços das ruínas, mas de repente o cais afundou com todo o povo sobre ele, e nenhum dos cadáveres jamais flutuou na superfície”.
O choque do terremoto “foi instantaneamente seguido da queda de todas as igrejas e conventos, e de quase todos os grandes edifícios públicos e, um quarto das casas. Em cerca de duas horas depois, irrompeu um incêndio em diferentes bairros, e se enfureceu com tal violência que pelo espaço de quase três dias a cidade ficou completamente desolada. O terremoto ocorreu num dia santo, quando as igrejas e conventos estavam repletos de gente, dos quais poucos escaparam”. ”O terror do povo era indescritível. Ninguém chorou, mas foram além das lágrimas. Eles corriam aqui e acolá, em delírio, com horror e espanto, batendo no rosto e seios, exclamando: ‘Misericórdia! o mundo está acabando! Mães esqueciam seus filhos, e corriam carregando crucifixos. Infelizmente muitos correram para as igrejas buscando proteção, mas em vão eram os Sacramentos expostos, em vão as pobres criaturas abraçavam os altares, imagens, padres e povo foram todos enterrados em uma ruína comum. “
4. O Sol convertido em Trevas
“E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas” (Mateus 24:29).
Vinte e cinco anos depois do Grande Terremoto apareceu o sinal seguinte mencionado em Apocalipse 6:12 – o escurecimento do sol e da lua. O que tornou isto mais marcante foi o fato de que o tempo de seu cumprimento havia sido definitivamente apontado. Na conversa do Salvador com os seus discípulos no Monte das Oliveiras, depois de descrever o longo período de provação da igreja – os 1260 anos da perseguição papal, em relação aos quais ele havia prometido que a tribulação deveria ser encurtada – Ele mencionou certos acontecimentos que precederiam sua vinda, e fixou o momento em que o primeiro destes deveria ser testemunhado: “Ora, naqueles dias, depois daquela aflição, o sol se escurecerá, e a lua não dará a sua luz” (Marcos 13:24). Os 1.260 dias, ou anos, terminaram em 1798. Um quarto de século antes, a perseguição tinha cessado quase inteiramente. Entre estas duas datas, de acordo com as palavras de Cristo, o sol devia escurecer.
Em 19 maio de 1780, esta profecia se cumpriu. Não foi um eclipse. Timothy Dwight diz: “A 19 de maio de 1780, houve um marcante dia escuro. Velas foram acesas em muitas casas, os pássaros estavam em silêncio e desapareceram, e as aves de capoeira retiraram-se para se empoleirar… Uma opinião muito geral prevaleceu, que o dia do julgamento estava à mão”. Citado em Coleções históricas Connecticut, compilada por John Warner Barber (2º Ed; New Haven: Durrie & Peck and J.W. Barber, 1836) p. 403. Para comentários adicionais sobre este evento, por favor continue lendo.
O Dia Escuro
“… Quase se não totalmente sozinho como o mais misterioso e ainda inexplicado fenómeno deste tipo…está o dia escuro de 19 de maio de 1780 - o mais inexplicável escurecimento de todo o céu e atmosfera visíveis na Nova Inglaterra”. Que a escuridão não era devido a um eclipse é evidente pelo fato de que a lua estava então quase cheia. Ela não foi causada por nuvens, ou espessura da atmosfera, pois, em algumas localidades onde a escuridão se estendia, o céu estava tão limpo que as estrelas podiam ser vistas. Quanto à incapacidade da ciência de atribuir uma causa satisfatória para essa manifestação, o astrónomo Herschel declara: ”O dia negro na América do Norte foi um dos admiráveis fenómenos da natureza que a filosofia está perdida para explicar”.
“A extensão das trevas também foi muito marcante, foi observada nas regiões mais a leste da Nova Inglaterra; a Oeste, na parte mais remota de Connecticut e, em Albany, NY, para o sul, foi observada em toda a costa marítima e ao norte, na medida em que as colónias americanas se estendiam. Provavelmente excederam esses limites, mas os limites exatos nunca foram positivamente conhecidos. No que diz respeito à sua duração, continuou na vizinhança de Boston, pelo menos, catorze ou quinze horas”.
“A manhã estava clara e agradável, mas por volta das oito horas foi observada uma aparência incomum no sol. Não havia nuvens, mas o ar era denso, tendo uma aparência de fumaça, e o sol brilhava com uma coloração pálida, amarelada, mas continuou a crescer mais e mais escuro, até que ele ficou escondido da vista.” Eram as ”Trevas da meia-noite ao meio-dia.”
“A ocorrência causou alarme e intenso desconforto em multidões de mentes, bem como consternação a toda criatura bruta, as aves de capoeira fugiram de seus abrigos desnorteadas, e os pássaros de seus ninhos, e o gado retornou aos seus estábulos”. As rãs e os falcões da noite começaram as suas notas. E a equipe de galos como na alvorada. Os agricultores foram forçados a abandonar seus trabalhos nos campos. Os negócios foram geralmente suspensos, e velas foram acesas nas casas”. O Poder Legislativo de Connecticut estava em sessão em Hartford, mas era incapaz de fazer negócios. Tudo tinha a aparência e a melancolia da noite”.
A intensa escuridão do dia foi sucedida, uma ou duas horas antes do anoitecer, por um céu parcialmente claro, e o sol apareceu, embora ainda estivesse obscurecido pela névoa, negra e densa. Mas “esse intervalo foi seguido por um retorno do obscurecimento com maior densidade, que tornou a primeira metade da noite terrivelmente escura além de toda a experiência anterior das prováveis milhões de pessoas que a viram. Desde logo depois do por do sol até a meia-noite, nenhum raio de luz da lua ou estrela penetrou a abóbada superior. Foi pronunciada “a escuridão das trevas!”. Disse uma testemunha ocular da cena: “Eu não podia conceber, na época, que, se cada corpo luminoso do Universo estava envolto em escuridão impenetrável, ou atingido fora da existência, as trevas não poderiam ter sido mais completas”. Embora a lua naquela noite subiu ao máximo, “Não tinha o menor efeito para dissipar as sombras de morte”. Depois da meia-noite a escuridão desapareceu, e a lua, quando se tornou visível, tinha a aparência de sangue.
O poeta Whittier assim fala deste dia memorável:
“Foi em um dia de maio do distante ano
de mil setecentos e oitenta, que caiu
Sobre o florescer e doce vida da primavera,
Sobre a terra fresca e o céu do meio-dia,
“Um horror de grandes trevas”.
Homens oravam e mulheres choravam,
todos os ouvidos afiados cresciam
Para ouvir o trompete da condenação estilhaçar
O céu negro”.
o dia 19 de maio de 1780, ergueu-se na história como “o Dia Escuro”. Desde a época de Moisés, nenhum período de trevas de igual densidade, extensão e duração havia sido registrado. A descrição deste evento, dada pelo poeta e historiador, é um eco das palavras do Senhor, registradas pelo profeta Joel, dois mil e quinhentos anos antes de seu cumprimento: “O sol se converterá em trevas , e a lua em sangue, antes do grande e terrível dia do Senhor” (Joel 2:31).
5. A Lua se transformou em Sangue
“O sol se converterá em trevas , e a lua em sangue, antes do grande e terrível dia do Senhor” Joel 2:31.
A lua tornou-se vermelha como sangue na noite do dia “escuro” de 19 de maio de 1780. Milo Bostick em “História das pedras de Massachusetts” diz: “A lua que estava cheia, tinha a aparência de sangue”.
6. Estrelas Caem do Céu
“E as estrelas cairão do céu” (Mateus 24:29).
A grande chuva de estrelas teve lugar na noite de 13 de novembro de 1833. Ela era tão brilhante que um jornal podia ser lido na rua. Um escritor disse: “Por quase quatro horas o céu estava literalmente em chamas”*. Homens pensaram que o fim do mundo havia chegado.
*Peter A. Millman, “A Queda das Estrelas”, O Telescópio, 7 (maio-junho, 1940) 57.
Para um comentário adicional sobre este evento continue a ler:
Estrelas caem dos céus
Em 1833, apareceu o último dos sinais prometido pelo salvador como indício de seu segundo advento. Jesus disse: “as estrelas cairão do céu” (Mateus 24:29). E João, no Apocalipse, declarou, ao contemplar em visão as cenas que anunciam o dia de Deus: “E as estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira lança de si os seus figos verdes, abalada por um vento forte” (Apocalipse 6:13). Esta profecia teve surpreendente e impressionante cumprimento na grande chuva meteórica de 13 de novembro de 1833. Essa foi a exposição mais extensa e maravilhosa de estrelas cadentes que jamais fora registrada; “O firmamento inteiro, sobre todo os Estados Unidos, ficou então, por horas, em faiscante comoção. Nenhum fenómeno celeste que já tinha ocorrido neste país, desde o seu primeiro assentamento, foi visto com tão intensa admiração por uma classe da comunidade, e com temor e alarme por outra”. “Sua sublimidade e terrível beleza ainda perduram em muitas mentes….Em uma palavra, o céu inteiro parecia em movimento. A exibição, conforme descrita na revista “Professor Silliman”, foi vista por toda a América do Norte. Das duas horas até plena luz do dia, o céu estava perfeitamente sereno e sem nuvens, e um jogo incessante de luminosidades deslumbrantemente brilhantes foi mantido em todo o céu. “
“Nenhuma linguagem de fato pode alcançar o esplendor dessa magnífica exibição; ninguém que não a presenciou pode formar uma concepção adequada da sua glória. Parecia que todas as estrelas do céu se reuniram em um ponto próximo do zénite, e estavam simultaneamente atirando para trás, com a velocidade de um raio, para cada parte do horizonte, e ainda não estavam esgotadas, milhares rapidamente seguiam o rastro de milhares, como se criadas para a ocasião”.
No dia seguinte ao avistamento, Henry Dana Ward escreveu, sobre o maravilhoso fenómeno: “Nenhum filósofo ou erudito, eu suponho, narrou ou registrou um evento, como o de ontem de manhã. Um profeta 1800 anos atrás predisse exatamente isso…o que é possível ser literalmente verdade”.
Assim, foi exibido o último dos sinais de sua vinda, sobre o qual Jesus ordenou a seus discípulos: “Quando virdes todas estas coisas, sabei que está próximo, mesmo às portas” (Mateus 24:33). Após estes sinais, João contemplou, o grande e próximo evento iminente, os céus partindo como um pergaminho, enquanto a terra tremia, e montanhas e ilhas se removiam de seus lugares, e os ímpios procuravam, aterrorizados, fugir da presença do Filho do homem.
Muitos dos que testemunharam a queda das estrelas, olharam para ela como um arauto do juízo que virá, “um símbolo terrível, uma certeza precursora, um sinal de misericórdia, do dia grande e terrível”. Assim, a atenção do povo foi direcionada para o cumprimento da profecia, e muitos foram levados a dar atenção ao aviso do segundo advento.
7. Problemas do Trabalho x Capital
“Eis que o salário que fraudulentamente retivestes aos trabalhadores que ceifaram os vossos campos clama, e os clamores dos ceifeiros têm chegado aos ouvidos do Senhor dos exércitos…sede pacientes…porque a vinda do Senhor está próxima” (Tiago 5:4-8). Problemas entre capital e trabalho estão previstos para os últimos dias. Para confirmar, basta ler os jornais.
8. Guerras e Tumultos
“Quando ouvirdes de guerras e tumultos, não vos assusteis; pois é necessário que primeiro aconteçam essas coisas; mas o fim não será logo. Então lhes disse: Levantar-se-á nação contra nação, e reino contra reino” (Lucas 21:9-10).
As guerras e os estragos dos conflitos civis estão afetando milhões no mundo inteiro. Houveram 35 conflitos em curso no final de 2003. Só a breve volta de Jesus trará um fim à dor e à destruição da guerra.
“As Nações Unidas definem “grandes guerras” como conflitos militares causando 1.000 mortes por ano no campo de batalha. Em 1965, haviam 10 grandes guerras em andamento. O milénio terminou com grande parte do mundo consumido em conflitos armados ou cultivando uma paz incerta. No final de 2003, haviam 15 grandes guerras em curso, com pelo menos 20 “menores” conflitos em andamento” Fonte: http://www.globalsecurity.org
9. Agitação, Medo e Distúrbios
“e sobre a terra haverá angústia das nações em perplexidade…os homens desfalecerão de terror, pela expectação das coisas que sobrevirão ao mundo” (Lucas 21:25-26).
Isto soa estranhamente como um editorial de um jornal atual – um retrato perfeito do mundo de hoje – e há uma razão: Somos o povo dos últimos dias da história da Terra.
A nossa volta no mundo está se manifestando intensa atividade. Há um sentimento de apreensão entre todos os povos, pois eles estão à procura de algum evento grande, mas não sabem o que é. As nações estão cheias de ansiedade, e há um espírito de inquietação e conflito em cada um. Se alguma vez houve um momento em que os homens deveriam olhar para a Bíblia este momento é agora.
O atual clima de tensão no mundo de hoje não nos deve surpreender. Cristo o predisse. Ele deve nos convencer de que Sua vinda está próxima.
10. Aumento do Conhecimento
“Tu, porém, Daniel, cerra as palavras e sela o livro, até o fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e a ciência se multiplicará” (Daniel 12:4).
Uma parte do livro de Daniel não era para ser entendida “até o tempo do fim”. No tempo do fim muitos correriam de lá para cá através das escrituras, comparando texto com texto e compreendendo essas profecias.
A Bíblia também prediz um tempo em que será tarde demais para procurar as escrituras.
“Eis que vêm os dias, diz o Senhor Deus, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. Andarão errantes de mar a mar, e do norte até o oriente; correrão por toda parte, buscando a palavra do Senhor, e não a acharão. Naquele dia as virgens formosas e os mancebos desmaiarão de sede” (Amós 8:11-13).
No entanto, a boa notícia é que algumas pessoas irão entender e estar preparadas para o Senhor quando Ele voltar. “Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão” (Daniel 12:10).
A principal aplicação do “aumento do conhecimento” é uma referência para as pessoas entenderem as profecias do livro de Daniel, no entanto, muitos estudiosos da Bíblia acreditam que esta profecia também se aplica a um aumento do conhecimento da ciência, medicina, viagens e tecnologia.
Estamos vivendo na “Era da Informação” fazendo este sinal parecer ainda mais evidente. Até mesmo a mente mais céptica admite que o conhecimento está explodindo em todas as direções. Diz-se que 80% do conhecimento total do mundo foi adquirido na última década e que 90% por cento de todos os cientistas que já existiram estão vivos hoje.
11. Degeneração Moral
“Nos últimos dias … haverá homens amantes de si mesmos … Sem afeto natural, implacáveis …, … desprezadores dos que são bons, … Tendo forma de piedade, mas negando o seu poder” (2 Timóteo 3:1-5).
A América está no meio de uma crise tremenda. Uma epidemia de pornografia, crime, drogas ilícitas, e à degeneração moral está ameaçando esmagar-nos. O suicídio está se tornando uma solução popular para os problemas humanos. As taxas de divórcio estão a subir descontroladamente, com quase um em cada dois casamentos terminando em divórcio no tribunal. A atual geração imoral – com a sua obsessão com o sexo e sujeira, com sua crescente adesão à igreja, mas diminuindo a verdadeira espiritualidade – é o cumprimento puro e positivo da Palavra de Deus. Para um verdadeiro choque, veja quantos dos pecados dos últimos dias listados em 2 Timóteo 3:1-5 você pode encontrar retratados em qualquer assunto do seu jornal de domingo. Nada menos do que a vinda do Senhor vai deter a maré do mal que está engolindo o mundo” (2 Timóteo 3:1).
12. Aumento da Criminalidade, Crimes de Sangue e Violência
“e, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará” (Mateus 2412). “Mas os homens maus e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados” (2 Timóteo 3:13). “E como foi nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem” (Lucas 17:26). “E disse Deus a Noé: O fim de toda carne é chegado perante mim, pois a terra está cheia da violência dos homens;. E eis que os farei perecer juntamente com a terra” Génesis 6:13.
Estamos vivendo em meio a uma “epidemia de crimes”, na qual homens tementes a Deus em todos os lugares estão horrorizados. A corrupção que predomina está além do poder da pena humana descrever. Cada dia traz novas revelações de conflitos políticos, subornos e fraudes. Cada dia traz seu doloroso registro de violência e arbitrariedade, de indiferença ao sofrimento humano, de destruição brutal e perversa da vida humana. Cada dia testifica do aumento da loucura, assassinato e suicídio. Quem pode duvidar que as forças satânicas estão trabalhando entre os homens com atividade crescente, para perturbar e corromper a mente, contaminar e destruir o corpo?
O espírito de anarquia está invadindo todas as nações, e as guerras que de tempos em tempos provocam horror no mundo não são senão indicações dos fogos contidos das paixões e ilegalidades, que depois de terem escapado do controle, enchem a terra de miséria e desolação. O quadro que a Inspiração nos deu do mundo antediluviano, representa mui verdadeiramente a condição a que a sociedade moderna está rapidamente se apressando. Mesmo agora, no presente século, e nos países que se professam cristãos, há crimes sendo perpetrados diariamente, tão negros e terríveis como aqueles pelos quais os pecadores do velho mundo foram destruídos. Antes do dilúvio, Deus enviou Noé para advertir o mundo, para que o povo pudesse ser levado ao arrependimento, e assim escapar da ameaça da destruição. Como o tempo da segunda vinda de Cristo se aproxima, o Senhor envia Seus servos com uma advertência ao mundo para se prepararem para esse grande evento. Multidões têm estado a viver em transgressão à lei de Deus, e agora Ele em misericórdia as chama a obedecer Seus preceitos sagrados.
13. Paixão pelo Prazer
“Nos últimos dias … os homens serão … mais amigos dos prazeres do que amantes de Deus” (2 Timóteo 3:1-4).
Como o tempo da sua provação estava se fechando, os antediluvianos entregaram-se à diversões emocionantes e festividades. Aqueles que possuíam influência e poder estavam empenhados em manter a mente do povo entretida com alegria e prazer, para que ninguém ficasse impressionado pelas últimas e solenes advertências de Noé. Não vemos o mesmo se repetindo em nossos dias? Enquanto os servos de Deus estão dando a mensagem de que o fim de todas as coisas está próximo, o mundo está absorvido em diversões e busca de prazeres. Há um círculo constante de excitação que causa indiferença para com Deus e impede as pessoas de ficarem impressionadas com as únicas verdades que podem salvá-las da destruição vindoura.
O mundo ficou louco pelo prazer. Apenas uma pequena percentagem dos cidadãos das grandes cidades frequentam serviços religiosos regularmente, mas milhares congestionam estâncias de lazer. A América está gastando bilhões a cada ano só com prazeres e “amendoins” (em comparação) para Deus. Os americanos desperdiçam loucamente milhões de horas em frente ao televisor em cumprimento direto de 2 Timóteo 3:4.
14. Desastres, Fome e Doenças
“e haverá em vários lugares grandes terremotos, e pestes e fomes” (Lucas 21:11).
O FEMA (Agência Federal de Gerenciamento de Emergências) dos EUA, informou que “o aumento do número e intensidade das catástrofes” é um dos inúmeros e graves problemas que estão enfrentando. Leia os jornais por si mesmo e você verá que os terremotos, tornados, enchentes, etc estão ficando piores e mais frequentes.
Além do sofrimento causado pelos desastres naturais, existe a fome. Centenas de milhões de pessoas passam fome, e milhares morrem diariamente de inanição.
O mundo também está sendo atingido com vírus emergentes, bactérias resistentes a drogas, e uma grande variedade de outros germes. Em setembro de 1997, o U. S. News afirmou que “Muitas bactérias comuns estão se tornando mais e mais resistentes às drogas, uma vez poderosas – a um ritmo alarmante”. Todas essas coisas são mais uma prova de que vivemos nas últimas horas da Terra.
15. Aumento do Espiritismo
“…os últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demónios” (1 Timóteo 4:1). “Porque são espíritos de demónios, que fazem prodígios; os quais vão ao encontro dos reis da terra e de todo o mundo” (Apocalipse 16:14).
A Bíblia diz:
“Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti” (Deuteronómio 18:10-11).
“Assim morreu Saul por causa da transgressão que cometeu contra o Senhor, por causa da palavra do Senhor, a qual não havia guardado; e também porque buscou a adivinhadora para a consultar. E não buscou ao Senhor, que por isso o matou, e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé” (1 Crónicas 10:13-14).
Muitas pessoas hoje, incluindo um grande número de chefes de nações, procuram o conselho de videntes, médiuns e espíritas. O espiritismo tem invadido as igrejas, bem como, o falso ensino da imortalidade da alma.
A Bíblia ensina que os mortos estão mortos, que os mortos não podem se comunicar com os vivos, e que a imortalidade é uma dádiva de Deus dada aos justos na Sua segunda vinda.
“… A alma que pecar, essa morrerá” (Ezequiel 18:4).
“Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos” (Deuteronómio 18:10-11).
“…Rei dos reis e Senhor dos senhores; Aquele que tem, ele só, a imortalidade…” (1 Timóteo 6:15-16).
“Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória” (1 Coríntios 15:51-54).
“Assim o homem se deita, e não se levanta; até que não haja mais céus, não acordará nem despertará de seu sono. Quem dera que me escondesses na sepultura, e me ocultasses até que a tua ira se fosse; e me pusesses um limite, e te lembrasses de mim! Morrendo o homem, porventura tornará a viver? Todos os dias de meu combate esperaria, até que viesse a minha mudança (Jó 14:12-14).
A confusão em torno deste tema Bíblico começou logo no início quando o pai da mentira, Satanás, preparando o palco para seus enganos dos últimos dias, pregou o primeiro sermão sobre a imortalidade da alma. “Então a serpente disse à mulher: certamente não morrereis” Génesis 3:4).
16.O Orgulho e o Egoísmo
“Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos; pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios, sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta- te também desses” (2 Timóteo 3:1-5).
“Eis que esta foi a iniquidade de Sodoma, tua irmã: Soberba, fartura de pão, e próspera ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca fortaleceu a mão do pobre e do necessitado” (Ezequiel 16:49).
Deus não considera todos os pecados como de igual magnitude, existem graus de culpa em sua estimativa, mas nenhum pecado é pequeno diante dos olhos de Deus. O julgamento do homem é parcial, imperfeito; mas Deus julga todas as coisas como elas realmente são. O bêbado é desprezado, e é dito que o seu pecado vai excluí-lo do céu, enquanto o orgulho, o egoísmo e a cobiça frequentemente andam sem repreensão. Mas esses são pecados que são especialmente ofensivos a Deus, porque são contrários à benevolência de Seu caráter e amor altruísta que é a própria atmosfera do universo não caído. Aquele que cai em alguns dos pecados mais grosseiros podem sentir uma sensação de vergonha da sua pobreza e necessidade da graça de Cristo, mas o orgulhoso não sente tal necessidade, e assim fecha o coração, contra Cristo e as bênçãos infinitas que Ele veio dar.
Se você vê o seu pecado, não espere fazer-se melhor. Quantos há que pensam que não são bons o suficiente para irem a Cristo. Você espera tornar-se melhor com seus próprios esforços? Só há ajuda para nós em Deus. Não devemos esperar persuasões mais fortes, melhores oportunidades, ou temperamentos mais santos. Não podemos fazer nada por nós mesmos. Devemos chegar a Cristo, assim como nós somos.
Renda-se a Cristo sem demora, somente Ele, pelo poder de Sua graça, pode redimi-lo da ruína. Só Ele pode trazer suas faculdades morais e mentais a um estado de saúde. Seu coração pode ser aquecido, com o amor de Deus; sua compreensão pode se tornar clara e madura, sua consciência iluminada e pura, sua vontade santificada e sujeita ao controle do Espírito de Deus. Você pode tornar-se o que você escolher. Se você agora deixar de fazer o mal e aprender a fazer o bem, então você será feliz de fato, você será bem sucedido nas batalhas da vida, e ascenderá para a glória e honra de uma vida melhor do que essa.
“Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor Deus, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas sim em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que morrereis, ó casa de Israel?” (Ezequiel 33:11).
17.Embriaguez e Glutonarias
“Como também da mesma forma aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os destruiu a todos; assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar” (Lucas 17:28-30 ).
“Eis que esta foi a iniquidade de Sodoma, tua irmã: Soberba, fartura de pão, e próspera ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca fortaleceu a mão do pobre e do necessitado” (Ezequiel 16:49).
“É uma verdade difícil de engolir:… De cada quatro pessoas na Terra uma é muito gorda, a obesidade tornou-se uma epidemia global, aliás uma pandemia.
Estatísticas recentes:
Estados Unidos: dois em cada três norte-americanos estão com sobrepeso.
Inglaterra: 75% dos adultos estão com sobrepeso ou obesos, um aumento de 400% em 25 anos.
México: 40% vivem na pobreza, mas 67% estão com sobrepeso.
(Existem dezenas de outros países que possuem estatísticas semelhantes. Maio de 2004)
Os mesmos pecados da gula e embriaguez que entorpeciam a sensibilidade moral dos habitantes de Sodoma são hoje predominantes. Como uma sociedade, como os moradores dessas cidades iníquas da planície, perdemos o sentido da maldade do crime e da imoralidade que são tão difundidos hoje. Cristo assim adverte o mundo: “Como também da mesma forma aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os destruiu a todos; assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar (Lucas 17:28-30).
18. Profanação do Casamento
“Pois como foi dito nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem” (Mateus 24:37).
A condição da sociedade de hoje é similar a que existia no tempo de Noé e Ló; e se Jesus estivesse aqui, ele diria, “vocês não podem discernir os sinais dos tempos?”. “Pois como foi dito nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos; assim será também a vinda do Filho do homem”.
“Vigiai, pois, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor; sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa. Por isso ficai também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem” (Mateus 24:42-44). O mundo está entregue à busca das coisas temporais, como os homens nos dias de Noé. Eles estão comendo, bebendo, plantando, edificando, casando, dando-se em casamento. Essas coisas todas em si mesmas são legítimas, mas é a realização delas ao excesso e à perversão do sagrado que é pecaminoso. O casamento foi pervertido para atender a paixão.
“Não te deitarás com varão, como se fosse mulher; é abominação. Nem te deitarás com animal algum, contaminando-te com ele; nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele; é confusão. Não vos contamineis com nenhuma dessas coisas, porque com todas elas se contaminaram as nações que eu expulso de diante de vós; e, porquanto a terra está contaminada, eu visito sobre ela a sua iniquidade, e a terra vomita os seus habitantes” (Levítico 18:22-25).
“Viu o Senhor que era grande a maldade do homem na terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era má continuamente…A terra, porém, estava corrompida diante de Deus, e cheia de violência. Viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra. Então disse Deus a Noé: O fim de toda carne é chegado perante mim; porque a terra está cheia da violência dos homens; eis que os destruirei juntamente com a terra” (Génesis 6:5, 11-13).
O mundo tem tido grande luz, e tem sido grandemente favorecido. A advertência que Cristo deu para as cidades que tinham sido altamente favorecidas e que não se arrependeram, se aplica ao mundo neste dia: “Ai de ti, Corazim, ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e em Sidom se fizessem as maravilhas que em vós foram feitas, já há muito, assentadas em saco e cinza, se teriam arrependido. Portanto, para Tiro e Sidom haverá menos rigor, no juízo, do que para vós.” (Lc 10:13-14).

19. Cépticos e Escarnecedores Religiosos
“Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação” (2 Pedro 3:3-4).
Nos dias de Noé, haviam homens que riram com desdém das suas palavras de advertência. Eles disseram que a natureza era governada por leis fixas, que seria impossível uma inundação, e que se houvesse alguma verdade no que ele dizia, os grandes, sábios e prudentes homens, entenderiam a questão. Houve total descrença no testemunho de Noé sobre os juízos que viriam, mas essa descrença não impediu ou dificultou a tempestade. Na hora marcada, “as fontes do grande abismo se romperam, e as janelas dos céus se abriram”, e a terra foi lavada da sua corrupção. Somente aqueles que encontraram refúgio na arca foram salvos.
Caro leitor, outra tempestade está vindo. A terra será varrida pela ira desoladora de Deus, e novamente o pecado e os pecadores serão destruídos. Você acha que é um evento de pouca importância? Então leia alguns dos pronunciamentos dos profetas, em referência ao dia de Deus:
“PORQUE eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o Senhor dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo” (Malaquias 4:1).
“Ai do dia! Porque o dia do Senhor está perto, e virá como uma assolação do Todo-Poderoso” (Joel 1:15).
“O grande dia do Senhor está perto, sim, está perto, e se apressa muito; amarga é a voz do dia do Senhor; clamará ali o poderoso. Aquele dia será um dia de indignação, dia de tribulação e de angústia, dia de alvoroço e de assolação, dia de trevas e de escuridão, dia de nuvens e de densas trevas” (Sofonias 1:14-15).
Mas, embora este seja um dia de angústia e sofrimento para os ímpios, os justos serão capazes de dizer: “Eis que este é o nosso Deus, a quem aguardávamos, e ele nos salvará; este é o Senhor, a quem aguardávamos; na sua salvação gozaremos e nos alegraremos” (Isaías 25:9). Diz o salmista: “Porque tu, ó Senhor, és o meu refúgio. No Altíssimo fizeste a tua habitação. Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos” (Salmo 91:9-11).
Caro leitor, se você ouvir a voz de Deus através destas palavras, não endureçais o vosso coração, “procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição” “procurai que dEle sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz” (2 Pedro 1:10, 2 Pedro 3:14).

20. Evangelho para o Mundo
“E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim” (Mateus 24:14).
Antes da queda de Jerusalém, Paulo, escrevendo pelo Espírito Santo, declarou que o evangelho seria pregado a “toda criatura que há debaixo do céu” (Col. 1:23). Então, agora, antes da vinda do Filho do homem, o evangelho eterno deve ser pregado a “toda nação, e tribo, e língua, e povo” (Apoc 14:6). Deus “estabeleceu um dia em que julgará o mundo” (Atos 17:31). Cristo nos diz quando esse dia será anunciado. Ele não diz que todo o mundo será convertido, mas que “este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim”.
A solene e grande última mensagem de advertência da segunda vinda de Cristo é agora apresentada em mais de 900 línguas e dialetos. Mais de 95% por cento da população mundial tem acesso a esta mensagem. Antes da segunda vinda de Jesus, cada pessoa do mundo será avisada de seu breve retorno. As pessoas estarão perdidas se rejeitarem a mensagem de aviso.
“E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo, Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu, caiu Babilónia, aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição. E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, Também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome. Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” (Apoc 14:6-12).
Hoje, essa profecia está sendo cumprida pelos mesmos meios, como nos dias de Paulo, porém as mensagens também estão indo para fora através de poderosas tecnologias de rádio, televisão e internet.
“Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus” (Apoc 22:20).


Textos extraídos do site Bible Universe do pastor Doug Batchelor.

Sem comentários:

Enviar um comentário